A Quem é Útil

Por se tratar de um trabalho terapêutico, a Constelação é de grande valia para pessoas dispostas a encontrar dentro de si respostas e possíveis soluções para conflitos que trazem sofrimento, perda de energia e parecem indissolúveis.

A autorresposabilidade é essencial no processo; por isso, é recomendável apenas para jovens e adultos. No caso de questões envolvendo crianças, os pais e/ou responsáveis podem trazer o tema e vivenciar a Constelação, lembrando que as crianças, em geral, expiam problemas negados no sistema familiar dos pais e isso será trabalhado na sessão.

ABRANGÊNCIA: o trabalho da Constelação Sistêmica pode ser aplicado a questões de ordem emocional (como sintomas de depressão, ansiedade, compulsões e estresse pós -traumáticos, etc.); também podem ser trabalhadas questões sobre relacionamentos afetivos e familiares; problemas de saúde; e questões de ordem financeira e profissional.  O ponto de partida será observar a sua posição e as emoções e lealdades ocultas no caso.

O QUE É UMA QUESTÃO?

A definição clara da questão é algo bem importante num trabalho de Constelação Familiar. Por isso, acho importante esclarecer que é um problema que afeta e traz fortes impactos à sua vida. Não existem questões “mais complicadas” ou “mais fáceis”; uma questão representa um ponto que se apresenta bloqueado e que parece sem solução em sua vida. Especialmente, é importante validar que não faremos a Constelação buscando “eliminar” o problema. Pelo contrário, o processo será conduzido no sentido de te trazer consciência ao seu envolvimento emocional com a questão, te ajudando a perceber que o que incomoda é um sinal apontando para algo, alguém ou um fato que não está sendo visto em seu sistema interno ou seu passado familiar.

Assim, algumas perguntas podem ajudar a esclarecer se você tem uma questão a ser trabalhada nesta terapia. Um trabalho preliminar que pode ser feito é você ficar bem consciente dos seus sentimentos em relação à questão/tema que deseja trabalhar. Procure silenciar, recolha-se um momento consigo e comece a meditar na questão: Que sentimentos estão associados a este problema? Como você se sente diante da questão? Isso impacta sua vida de que forma? Há quanto tempo ocorre? Você percebe em seu corpo/na sua saúde alguns efeitos consequentes deste problema? Em seu histórico familiar ocorreram fatos significativos que marcaram fortemente seus pais ou avós?… Observe e, se quiser, anote o que vier. Quanto mais clareza você tiver sobre os enredos dos dramas familiares, isso irá ajudar no encaminhamento que teremos na sessão.